Coletânea Batidas da Véia.01
novembro 26, 2019
Oops...
Slider with alias Parque e Praças not found.

PARQUES e PRAÇAS


ft1008saopaulo-villalobos
Disponibilizamos alguns locais para descanso e aproveitar com a família praças e parques na Cidade de São Paulo, locais como as Praças Benedito Calixto, República, Sé, Roosevelt, Victor Civita, Vilaboim, Parques como Alfredo Volpi, Burle Marx, Aclimação, Aguá Branca, Luz , Carmo, parque do Povo, Parque do Tietê, Parque do Trabalhador, do Trote, Guarapiranga, Ibirapuera, Linear Tiquatira, Mário Covas, Piqueri, Trianon, Villa-Lobos, Zilda Natel. Telefone e Valore atualizados em 2015 .
CONFIRA JÁ

Parque Aclimação

Parque da Aclimação
Autor: Mateus Maropo


Adquirido pela Prefeitura em 1939 e tombado em 1986 pelo Condephaat, o Parque da Aclimação oferece diariamente, das 6h às 22h, diversas opções de lazer e entretenimento aos transeuntes dos bairros da Liberdade e Paraíso, no Centro de São Paulo.

Chamado antigamente de Jardim da Aclimação, o local foi sede do primeiro zoológico da cidade, no final do século 19, e chegou a acolher Maurício, um urso polar branco do polo norte, o camelo Gzar, uma sucuri, um peixe elétrico do Amazonas e hienas africanas, segundo jornais da época.

A ideia do zoo, criado em 1882, surgiu do médico, fazendeiro e político paulista Carlos Botelho, inspirado no Jardin D'Acclimatation, em Paris, na França.

Atualmente, o parque abriga um lago, concha acústica, jardim japonês com espelho d'água, aparelhos de ginástica, pista de cooper e caminhada, além de playgrounds infantis, paraciclo e campos de futebol, voleibol e basquetebol.

Em 112 mil m² de área verde, são registradas no parque cerca de 85 espécies de fauna, sendo 65 aves, como garça quero-quero, joão-de-barro, sabiá-laranjeira, martin-pescador e chopim.

Sua vegetação é composta por bosques implantados, áreas ajardinadas com espécies nativas e exóticas, entre elas guanandi-do-litoral, jabuticabeira e jacarandá-mimoso, além de um extenso eucaliptal.

Quem deseja conhecer um dos parques mais tranquilos e agradáveis da cidade, seja para praticar aulas de Hatha Yoga, Radio Taissô ou ainda fazer um simples piquenique, dispõe de quatro linhas de ônibus da SPTrans, que passam próximo ao parque.

Serviço:


Horário de funcionamento: diariamente, das 6h às 22h.
End.: Rua Muniz de Souza, 1119 – Aclimação – Centro-oeste – São Paulo.
Tel.: (11) 3208-4042.



Parque Aguá Branca

Parque da Água Branca
Autor: Suzana Pertinhez


O Parque Doutor Fernando Costa, conhecido como Parque da Água Branca, é um ótimo lugar para fazer uma caminhada, um passeio a dois, ler um livro, espairecer, fazer um piquenique, ou para tomar um café típico do interior ao som de moda de viola.

Inaugurado em 1929, o parque, que funciona diariamente, das 6h às 22h, possui várias opções de atividades para as crianças, com brinquedoteca e espaço de leitura infantil – em alguns dias ainda conta com a presença de contadores de história. Abriga um parque de diversão permanente com balões pula-pula infláveis e carrosséis de carrinhos, e parquinhos com balanços, gangorras e diversos brinquedos, que ficam espalhados pelo parque. Ao longo do ano também há uma ampla grade de programação voltada ao público infantil.

Para os amantes dos animais, o parque é ótimo para ter contato direto com diversas espécies, como as carpas e as tartarugas, que ficam em tanques espalhados pelo local, ou com os pavões, galinhas, pintinhos e gatos que ficam soltas pelo parque. Às vezes, é possível ver saguis pelas árvores. O local também possui um aquário com as principais espécies da bacia hidrográfica do Estado, com valor de entrada a R$ 2 por visitante.

A terceira idade também possui espaço no parque, como a Praça do Idoso, um local com aparelhos para a prática de ginástica, que é bastante frequentado. Diversas atividades também são desenvolvidas ao longo do ano, como ginástica antiestresse e yoga – a programação deve ser consultada diretamente no parque.

Opções para todos os gostos

O parque sedia várias feiras, como a de produtos orgânicos que acontece todos os sábados, também há outras feiras, como as de artesanato e comida que ocorrem nas cocheiras do parque ou as feiras de exposição de animais de pequeno e médio porte.

O piquenique é outro programa que pode de ser feito no parque, que possui um espaço com mesas e bancos, para os mais tradicionais é possível estender a toalha no chão, embaixo de uma árvore, lugar geralmente escolhido pelos casais para fazer um lanche romântico. Outro espaço muito procurado é o dedicado à leitura, com diversas opções de livros e mesas que só podem ser usadas para estudar ou para ler. É um lugar bem confortável em meio ao verde e às sombras das árvores.

A Casa do Caboclo é uma ótima escolha para quem gosta do interior, um cenário típico da fazenda com fogão a lenha e mesas de madeira. O ambiente rústico é inspirado nas casas da zona rural e serve café típico do interior, entre as iguarias servidas, está a famosa cavaca – broa de milho assada na chapa do fogão a lenha. Aos finais de semana, o café é servido com música ao vivo, moda de viola e sertaneja. Também há outros ambientes do parque que remetem à fazenda, como as cocheiras e a Arena, que ainda são usados para a prática de equitação.

Um passeio bastante requisitado não só pelas crianças, mas também pelo público em geral, é o de trenzinho, onde as pessoas se divertem passeando pelas ruas e dependências do parque, custa R$ 3 por pessoa. Outro atrativo do parque é O Relógio do Sol, que marca a passagem do tempo nos diversos países por meio da observação da posição do sol. O parque também abriga um museu de geologia, o Mugeo; um Centro de Referência em Educação Ambiental; e diversos espaços para exposições


Serviço:

End.: Av. Prof. Francisco Matarazzo, 455 – zona Oeste – São Paulo (próximo à estação Barra Funda do metrô). Horário de funcionamento: diariamente, das 6h às 22h. Aquário: às segundas-feiras, das 13h às 17h. Terça a domingo, das 9h às 17h. Grátis (somente o aquário R$ 2). Tel.: (11) 3865-4131.



Parque Alfredo V.

Parque Alfredo Volpi
Autor: Caio Pimenta


Localizado no bairro Cidade Jardim, na área nobre da zona sul de São Paulo, o parque foi inaugurado nos anos 1970 com o intuito de se tornar uma área de preservação ambiental. Nessa época, era conhecido como Bosque do Morumbi, mas logo recebeu um novo nome: Alfredo Volpi, em homenagem a um dos maiores pintores da história.

Com cerca de 140 mil metros quadrados de área, o parque concentra pistas de cooper e caminhada, trilha em mata fechada, três lagos, além de alguns aparelhos de ginástica e playground. Essa estrutura possibilita que os visitantes e frequentadores do local possam praticar exercícios, levar a família para passear ou até mesmo fazer um piquenique.

Aproximadamente 86 espécies de animais compõem a fauna do local. São mamíferos, como a preguiças e saguis, e cerca de 70 aves, que incluem cinco espécies de papagaios, garças, o tucano-de-bico-verde, os conhecidos Sabiás, o “Gavião-de-cabeça-cinza” e a “Saíra-viúva”, além de diversas outras.

Já a flora é composta por espécies remanescentes da Mata Atlântica como o “jequitibá”, “passuaré”, “jerivá”, “guapuruvu”, “pau-jacaré”, “copaíba”, “camboatá”, “cambuci”, “açoita-cavalo”, “samambaiaçu”, “angico”, além de outras, como “tipuana”, “sibipiruna”, “cafeeiro”, “seafórtia” e “pau-brasil”.

O parque Alfredo Volpi é uma excelente opção para quem busca um refúgio em meio à natureza sem sair da metrópole. Um lugar que inspira tranquilidade e diversão para toda a família.

Serviço:
End.: Rua Eng. Oscar Americano, 480 – Morumbi – zona sul – São Paulo
Horário: das 6h às 18h
Tel.: (11) 3031-7052
Preço: Grátis


Parque Burle Marx

Parque Burle Marx


Localizado na zona sul de São Paulo, o Parque Burle Marx surgiu de forma diferente. O arquiteto-paisagista Roberto Burle Marx criou o projeto artístico e paisagístico do parque especialmente para integrar os jardins de uma casa, projetada por Oscar Niemeyer na década de 1950. A casa nunca foi concluída ou habitada, e nos anos 1990, foi demolida. Em 1995 os jardins foram aproveitados para dar lugar ao parque.

Como a proposta do parque é mais contemplativa, o jardim de Burle Marx é a principal atração, com suas palmeiras imperiais, um conjunto de esculturas do painel de altos e baixos relevos, espelhos d'água, além de um belo pergolado e um gramado de duas cores que imita um tabuleiro de xadrez.

Outro destaque é a Casa de Taipa e Pilão, que representa um processo milenar de construção que foi trazida pelos portugueses e é de grande importância por seu valor histórico-cultural.

A flora do local é composta por espécies remanescentes da Mata Atlântica e do reflorestamento de eucaliptos, e possui áreas ajardinadas onde se destacam espécies como palmeiras, andá-açu, marinheiro, pau-brasil, abacate e palmeiras imperiais.

Já a fauna é formada por mais de 90 espécies de animais, algumas aquáticas, como socozinho, savacu, martim-pescador-grande; outras aéreas, como o gavião-peneira e o pavó, que está na lista de espécies ameaçadas de extinção, e também alguns animais terrestres, como o gambá, o preá e o lagarto teiú.

Atualmente, o parque conta com uma área de 138 mil metros quadrados, e abriga pistas para cooper e caminhada, três trilhas que circundam os lagos e levam o usuário a uma verdadeira experiência sensorial dentro da mata, além de barras e pranchas para ginástica, playground, nascentes e lagos.


Serviço:

End.: Av. Dona Helena Pereira de Morais, 200 - Vila Andrade – zona sul – São Paulo
Horário: das 7h às 19h
Tel.: (11) 3746-7631
Grátis



Parque Cie. Tec. USP

Parque de Ciência e Tecnologia da USP
Autor: Cintia Santos


O CienTec-USP, órgão vinculado à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo, é uma instituição que oferece entretenimento educativo para crianças, jovens e adultos. Por meio de diferentes passeios, demonstrações e experiências, a ciência e a tecnologia ficam muito mais próximas do visitante.

Os programas educacionais orientados e o ambiente circundado por Mata Atlântica proporcionam aos visitantes uma alternativa moderna para o aprendizado da ciência, da tecnologia e da cultura humanística em geral.

O local recebe grupos escolares agendados e possui atividades compatíveis com cada faixa etária. Grupos espontâneos também são bem-vindos ao parque, sem necessidade de agendamento.

O Parque da Ciência e Tecnologia da USP situa-se dentro de uma importante área de preservação ambiental, o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, criado com o objetivo de ampliar a interação entre a universidade e a população.

Algumas das atividades no Parque CienTec são:

- Astronomia, geofísica e meteorologia
O Parque CienTec ocupa o antigo campus do Instituto Astronômico e Geofísico, construído na década de 1930 e depois incorporado à USP. Esta origem deixou como herança algumas das atividades de astronomia, geofísica e meteorologia, hoje oferecidas ao público.

- Alameda Solar
A Alameda Solar é uma instalação ao ar livre, entre a portaria principal do Parque CienTec e o Planetário. Esta representação artística do Sol, planetas e satélites contém informações científicas selecionadas sobre cada um destes corpos celestes.

- Planetário
O Parque CienTec conta com planetário digital, instalado em uma sala com cinquenta lugares, sendo dois deles para pessoas com necessidades especiais. Em sua programação, o Planetário tem projeções importadas traduzidas para o português, além de produções próprias.

- Observações astronômicas
O Parque CienTec oferece observações astronômicas noturnas às quartas-feiras à noite, em luneta Zeiss e em telescópios portáteis modernos, acompanhadas por astrônomo. Durante o dia, o Parque oferece observações de manchas solares em equipamentos portáteis e na luneta Zeiss.

- Nave virtual Mário Schemberg
No CienTec é possível realizar uma aventura em uma nave espacial virtual, atividade especialmente voltada para o público infantil. Os pilotos controlam a nave em estações de comando, enquanto observam projeções 3D de filmes e jogos interativos.

- Gruta Digital
Gruta Digital é uma sala de projeção 3D, que proporciona sensação de imersão, com filmes voltados principalmente à astronomia.

- Geofísica
No Espaço Geofísica você descobre porque a Terra é um planeta vivo. Lá, é possível conhecer a estrutura interna do planeta, terremotos, vulcões, descobrir como os continentes se deslocam e muitas outras histórias.

- Meteorologia
A estação meteorológica mais antiga em atividade no Estado de São Paulo está localizada no Parque CienTec. Lá, os visitantes entram em contato com a meteorologia e conhecem um importante acervo de equipamento e registros históricos.

- Fontes do Ipiranga
Algumas das nascentes do Riacho do Ipiranga estão na área de mata do Parque CienTec e abastecem um lago artificial, na área do mesmo. Esta riqueza permite discutir o ciclo da água e a importância da qualidade desta e de seu uso racional.

- Trilhas ecológicas
Nas trilhas na mata do CienTec, os visitantes podem conhecer a biodiversidade local e muito mais.

- Exposição de Matemática
A Exposição Interativa de Matemática do Parque CienTec é uma réplica da exposição francesa Maths 2000, com cerca de cem experimentos interativos, que exploram os fundamentos da matemática com abordagens para todas as idades.

- Laboratório de óptica
No CienTec você faz fotografias usando apenas uma lata furada e papel fotográfico. Além dos conceitos de óptica e fotografia, são apresentados experimentos sobre o funcionamento do olho humano.

- Energias alternativas
O CienTec tem um parque de equipamentos interativos para demonstrar a conversão de energia solar, eólica, hidráulica e mecânica em energia elétrica e calor.

- Princípios de física
O Parque CienTec conta com mais de quarenta aparatos interativos para demonstrações de princípios física, que são operados pelos visitantes acompanhados pelos mediadores. Os aparelhos maiores, como o giroscópio humano e a concha acústica, estão distribuídos pelos jardins do CienTec. Os menores, apelidados de brinquedos de física, estão concentrados em um prédio próprio.

Para mais informações e agendamento, entre em contato pelo telefone: (11) 5077-6312.


Serviço:

End.: Av. Miguel Stéfano, 4200 – Água Funda – zona sul – São Paulo.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8h30 às 17h. Sábado, das 9h às 16h. Agendamento de grupos: de segunda a sexta, das 9h às 17h.
Tel.: (11) 5077-6312.



Parque da Cantareira

Parque da Cantareira
Autor: Inae Luiz


Localizado na zona Norte da capital paulista e incluindo áreas de municípios vizinhos, como Mairiporã, Guarulhos e Caieiras, o Parque Estadual da Cantareira possui uma das maiores áreas de mata, dentro de região urbana, do mundo.

Com mais de 7.900 hectares de Mata Atlântica, o parque, destinado principalmente ao ecoturismo, abriga diversas espécies animais e vegetais – algumas, inclusive, ameaçadas de extinção – e é considerado uma Unidade de Conservação de Proteção Integral (área natural de preservação da biodiversidade, onde é permitido somente o uso indireto de seus recursos.), tendo sido, graças a isso, tombado pela Unesco.

Para os que gostam de praticar esportes e apreciar bons momentos em meio ao ar livre e à natureza, o parque é o local ideal. Dentro da gigante Serra da Cantareira, o Parque é dividido em núcleos, que contam com área de piquenique, toaletes e visitas monitoradas. São eles:

- Núcleo Pedra Grande, primeiro a ser aberto ao público, em 1989, com três trilhas conhecidas por proporcionar ao visitante contato direto com a Mata: Trilha das Figueiras, com 1.200 m de percurso que varia de suave à íngreme; Trilha da Bica, com 1.500 m de percurso suave, passando por uma mini bacia hidrográfica; e a Trilha da Pedra Grande, que consiste em uma antiga estrada, com um percurso de 9.500 m, que leva à Pedra Grande, de onde é possível observar um panorama da cidade de São Paulo. Além das trilhas, o núcleo possui anfiteatro e museu.

- Núcleo Engordador, chamado assim por abrigar uma antiga fazenda onde era realizada a “engorda” do gado, conta com a Trilha da Cachoeira, com aproximadamente 3.500 m, passando por cachoeiras e rios; a Trilha do Macuco, com um leve percurso de 700 m, que acompanha um riacho; e a Trilha de Mountain Bike, com 1.400 m e única trilha para prática de ciclismo do local. É possível também visitar a ‘Casa de Bombas’, tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), construída em 1894, que fez parte do primeiro sistema de abastecimento de água de São Paulo.

- Núcleo Águas Claras, mais voltado à educação ambiental (principalmente no que se refere à preservação dos rios), o núcleo possui quatro trilhas: a Trilha das Águas Claras, com cerca de 700 m, que passa por pequenas corredeiras e quedas d’água; a Trilha Samambaia-açú, com 1.250 m, repleta de samambaias de até dois metros de altura; a Trilha das Araucárias, com aproximadamente 1.250 m, com diversos tipos de pinheiros em suas alamedas; e a Trilha da Suçuarana, com 1.200 m de bosques e vegetação ribeirinha.

- Núcleo Cabuçu, último a ser construído e revitalizado recentemente para maior proteção da floresta nativa, possui anfiteatro, centro de visitantes, playground e as trilhas da Jaguatirica, com 1.000 m e um percurso suave; Tapiti, com 250 m e árvores de diversas espécies; do Sagui, com 730 m e de nível fácil; e da Cachoeira, com 5.220m, percurso íngreme e uma pequena cachoeira em seu final.

Serviço:


End.: Rua do Horto, 1799 – Horto Florestal – zona Norte – São Paulo.
Horário de funcionamento: aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h.
Tel.: (11) 2203-0115.



Parque da Luz

Parque da Luz
Autor: Saara Paiva


Localizado em frente à estação da Luz do metrô, na região central de São Paulo, o Parque da Luz foi originalmente criado como um horto botânico, aberto em 1825 ao público como Jardim Público da Luz. Este é o mais antigo e tradicional parque público da cidade.

O local possui área para apresentações, coreto, playground, espelhos d'água, uma gruta com cascata, aquário subterrâneo, equipamentos de ginástica, pista de cooper, paraciclos, áreas de estar, sanitários, mirante, ponto de bonde, lagos, chafariz, além de uma exposição permanente de esculturas, bosque da leitura e o museu Casa do Administrador.

No jardim do parque, é possível encontrar espécies de árvores como o alecrim-de-campinas, o andá-açu, o chichá, a corticeira, o jenipapo, a magnólia-branca, entre outras plantas.

O local também abriga 67 espécies de pássaros e animais como o cágado-pescoço-de-cobra, peixes como carpas, tilápias e acares que vivem no espelho d'água. Destaca-se o lago em formato de cruz de malta, localizado no centro do parque, rodeado por esculturas que representam as quatro estações do ano.

Próximo ao portão principal, passa a ciclofaixa de lazer, que funciona aos domingos e feriados, das 7h às 16h.

Também é possível visita a Pinacoteca, museu que conta com dez salas que abrigam o acervo com cerca de cem mil obras, além de um espaço da reserva técnica no qual ficam peças em restauração. A área também oferece um delicioso café.

Serviço:


Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h.
End.: Praça da Luz, s/nº - Bom Retiro.
Tel.: (11) 3227-3545.



Parque do Carmo

Parque do Carmo – Olavo Egydio Setúbal
Autor: Vanessa Pierangelli Rossini


O Parque do Carmo, localizado na zona Leste da cidade, tem inúmeras atrações que você não pode deixar de conferir:

Museu do Meio Ambiente, lagos, anfiteatro natural, aparelhos de ginástica, campos de futebol, ciclovia, pista de cooper, playgrounds, quiosques, churrasqueiras, gramado para piquenique, bosque das cerejeiras, Monumentos à Imigração Japonesa, Viveiro Arthur Etzel, Bosque da Leitura, entre outras.

No Parque, o prédio-sede tem arquitetura colonial, há um conjunto de lagos e toda uma área ajardinada. Possui vegetação composta por eucaliptais, remanescentes de Mata Atlântica, brejos, além de gramados, cafezal, pomar, bosque de cerejeiras-de-Okinawa e um viveiro de produção de espécies arbustivas.

Para quem gosta de animais, o local possui 135 espécies de fauna, sendo dez de répteis, a exemplo do lagarto florestal conhecido como papa-vento; além de sete de mamíferos e 118 de aves. Garças, mergulhões, martins-pescadores, irerês e ananaís fazem uso do lago. No quesito canto, destaca-se o trinca-ferro-verdadeiro, graúna e canário-da-terra.

Olhos atentos observarão diversas espécies de beija-flores e passarinhos vistosos: sanhaçu-de-fogo, saíra-viúva, saí-azul, fim-fim, saí-andorinha e saíra-de-chapéu-preto e o singular arapaçu-do-cerrado. Entre os mamíferos, há registros de veado-catingueiro, preguiça-de-três-dedos, tatus, ouriço-cacheiro e caxinguelês.

Desde 1978, é realizada no Parque a tradicional Festa das Cerejeiras, para comemorar a florada da árvore símbolo do Japão e que tornou-se a marca da comunidade nipônica que vive na região. Todos os anos, ocorre a prática do “hanami”, ritual que consiste em sentar-se sob as cerejeiras e contemplá-las por longo período.

Serviço:


End.: Av. Afonso de Sampaio e Souza, 951 – Itaquera – zona Leste – São Paulo.
Horário de funcionamento: diariamente, das 5h30 às 18h.
Tel.: (11) 2748-0010



Parque do Ibirapuera

Parque Ibirapuera
Autor: Inae Luiz


Inaugurado em 1954, durante as comemorações de 400 anos de São Paulo, o Parque Ibirapuera não só é o mais freqüentado e conhecido parque de São Paulo, como também uma das mais importantes áreas de cultura e lazer da cidade.

Idealizado por ícones, como Oscar Niemeyer, nos moldes de grandes parques mundiais (o Central Park, por exemplo), o Ibirapuera atrai todo o tipo de público. Desde os mais esportistas, que vão para aproveitar a pista de cooper, a ciclofaixa, o bicicletário com aluguel de bicicleta, as quadras, os campos de futebol e os aparelhos de ginástica; até os que vão em busca de cultura, freqüentadores da OCA, Pavilhão das Culturas Brasileiras, Museu Afro-Brasil, Fundação Bienal, MAC, MAM, entre outros.

Para quem busca somente ter um momento de tranqüilidade em meio à natureza, o Ibirapuera também é o local ideal, já que abriga 494 espécies vegetais, além de 35 de borboletas, dez de peixes, oito de répteis e 156 espécies de aves.

De fácil acesso através de transporte público (ônibus) e da ciclofaixa de lazer (Circuito Zona Oeste e Circuito Paulista Centro), é muito fácil entender porque este é um dos locais favoritos do paulistano. O parque conta com lanchonetes, áreas de estar, parque infantil, uma fonte multimídia e atividades o dia inteiro e todos os dias.

Sempre há o que fazer por lá e seu horário estendido foi feito especialmente para os que levam uma vida agitada em meio à metrópole, mas não abrem mão de seus momentos de lazer e descontração.

Serviço:


End.: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Vila Mariana – zona Sul – São Paulo.
Horário de funcionamento: diariamente, das 5h às 0h.
Tel.: (11) 5574-5505.



Parque do Povo

Parque Povo Mário Pimenta Camargo (Parque do Povo)
Autor: Marcelo Iha


O Parque Povo Mário Pimenta Camargo (Parque do Povo), localizado no bairro do Itaim Bibi, tem diversão e lazer para todos os gostos, como um jogo gigante de xadrez no qual o visitante pode movimentar peças enormes em um tabuleiro quadriculado no chão.

No Jardim Sensitivo, composto por ervas aromáticas, é possível cheirar, tocar ou até morder algumas das iguarias que crescem por lá, como mostarda, coentro, cheiro-verde, cebolinha, babosa e manjericão.

Para praticar atividades físicas, há quadras poliesportivas com marcação especial para esportes paraolímpicos, aparelhos de ginástica de baixo impacto, quadras e campo de futebol, onde é praticado o famoso futebol de várzea. Também há pistas de caminhada e trilhas para quem curte algo mais leve.

Na grande área aberta do gramado central, é possível tomar um sol ou fazer um piquenique em meio ao verde, ou descansar ouvindo o canto dos pássaros. São 37 espécies de aves típicas de ambientes abertos, como beija-flor-tesoura, pica-pau-do-campo, suiriri-cavaleiro, sabiá-do-campo, tico-tico; e 32 espécies de plantas distribuídas em conjuntos temáticos compostos por árvores frutíferas nativas, exóticas, madeiras nobres e trepadeiras.

Aos domingos, a ciclofaixa de lazer liga o parque ao do Ibirapuera e ao Villa-Lobos, permitindo um passeio de bicicleta mais longo pelas ruas da cidade.

Serviço:


End.: Av. Henrique Chamma, 420 – Itaim Bibi – zona Sul (próximo à Linha 9 – Esmeralda – Estação Cidade Jardim do trem da CPTM).
Horário de funcionamento: diariamente, das 6h às 22h.
Grátis.
Tel.: (11) 3073-1217.



Parque do Tietê

Centro de Lazer Engenheiro Goulart – Parque Ecológico do Tietê
Autor: Caroline Cots


Localizado na zona Leste de São Paulo, o Centro de Lazer Engenheiro Goulart (Parque Ecológico do Tietê) foi inaugurado no dia 17 de março de 1982, ocupa uma área de 14 milhões de m² nas margens do Rio Tietê, entre os bairros de São Miguel Paulista e o município de Guarulhos.

O parque conta com uma vasta quantidade de opções de lazer aos visitantes, como: trilhas de caminhadas, campos de futebol e quadras poliesportivas, quiosques com churrasqueiras para locação, um conjunto aquático, com piscinas para adulto e criança, playgrounds, aluguel de bikes e pedalinhos, entre outras.

O espaço ainda conta com um Centro de Educação Ambiental, o Museu do Tietê e um Centro de Recepção de Animais Silvestres, que atualmente abriga cerca de dois mil animais, que foram doados pela população ou apreendidos pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais) e pela Polícia Florestal.

Este local é considerado uma das grandes reservas ambientais no Estado e parte de sua área também serve como bacia de acumulação de água, para que não haja enchentes na Marginal Tietê.

O Parque Ecológico do Tietê também foi escolhido por alguns clubes de futebol, da capital, para abrigar os seus respectivos centros de treinamentos privados. Times como Corinthians e Portuguesa treinam semanalmente no local. O Palmeiras também possui um centro de treinamento nas proximidades do parque, o qual dedica exclusivamente para as categorias de base do clube.

Para chegar de carro, o acesso fica na Rodovia Ayrton Senna, na altura do km 17. Pela CPTM, a estação Engenheiro Goulart (Linha 12 - Safira) é a mais próxima ao local.

Serviço:

Horário: das 8h às 17h.
End.: Rua Guirá Acangatara, 70 – Engenheiro Goulart – zona Leste – São Paulo.
Grátis.



Parque do Trote

Parque do Trote
Autor: Clara Campos Melo


O Parque do Trote, localizado na Vila Guilherme, é um espaço de 187 mil metros quadrados. Possui áreas para todas as idades, como playgrounds, pista de corrida, ciclovia, quadra poliesportiva e churrasqueiras, além de ser totalmente acessível a portadores de necessidades especiais.

A preocupação com acessibilidade está presente em todos os lugares, desde as pistas de cooper, que possuem corrimãos de segurança, até os brinquedos do playground.

O parque reúne também diversos exemplares da nossa flora, como tipuana, mangueira, jatobá e pitangueira, e oferece aos visitantes duas trilhas, a dos Sentidos e a das Aves. A primeira se baseia na exploração da natureza pelo tato, olfato e visão. Já a segunda apresenta todas as espécies de pássaros que estão no parque.

Serviço


Rua Nadir Dias de Figueiredo, s/n (Portaria 1) / Rua São Quirino, 905 (Portaria 2) – Vila Guilherme
Horário: das 5h30 às 20h (Portaria 1) / das 5h30 às 18h e 5h30 às 20h (Portaria 2 e horário de verão)
Tel.: (11) 2905-0165



Parque Guarapiranga

Parque Guarapiranga
Autor: Tatiane Gonsales


Situado na zona sul de São Paulo, o Parque Ecológico do Guarapiranga ocupa 2,5 km² de extensão em uma área de proteção ambiental com opções de lazer para os mais diferentes gostos.

Inaugurado em 1999, o parque abriga trilhas, quadras poliesportivas, dois campos de futebol, lanchonete, churrasqueiras, palco para shows, um viveiro com mais de 379 mil mudas de plantas e cerca de 500 espécies de animais. É possível até andar sobre as águas da represa em uma pista para caminhada de 1,6 km de concreto.

Por ocupar 28 km (7%) do entorno da Represa do Guarapiranga, o parque se destaca por reunir clubes e escolas dos mais diversos esportes aquáticos. Há opções para quem deseja aprender a velejar em escolas de iatismo, ter aulas de windsurf ou ainda de Dragon Boat, um esporte recém-chegado ao Brasil que consiste em remar uma canoa em forma de dragão oriental ao som das batidas de um tambor posicionado na proa do barco, que pode ser ocupado por até 22 pessoas.

Para quem busca tranquilidade, o Salão Oval, mantido por um grupo de voluntários, é o espaço ideal. Lá acontecem atividades voltadas especialmente para a terceira idade, como ginástica chinesa, ioga e dança.

Já os pequenos se divertem na Brinquedoteca, mantida por iniciativa da empresa de brinquedos Estrela. Dezenas de crianças passam por lá diariamente para brincadeiras e jogos de todos os tipos.

Há espaço também para quem busca unir cultura e lazer. No Anfiteatro, grupos voluntários montam espetáculos teatrais. No Infocentro, dez computadores com conexão à internet estão à disposição da população. E o acervo da Biblioteca possui mais de oito mil itens.

Outro destaque é o Museu do Lixo, que expõe os mais diversos objetos encontrados submersos na Represa do Guarapiranga: desde latas de refrigerantes e pneus até sofá, geladeira e fogão.

Como um verdadeiro oásis, o Parque Ecológico do Guarapiranga é um refúgio envolvido por um incrível mundo de água e repleto de opções de lazer, cultura e esportes.

Serviço:


End.: Estrada da Riviera, 3.286 - Riviera Paulista - zona sul - São Paulo



Parque Juventude

Parque da Juventude
Autor: Inae Luiz


Construído no lugar da antiga Casa de Detenção de São Paulo, popularmente conhecida como Carandiru, o Parque da Juventude foi inaugurado em 2003, e é um dos locais mais frequentados da zona Norte da capital. É um complexo esportivo, cultural e recreativo de 240 mil m², com uma estrutura mais do que completa.

Muito frequentado principalmente por skatistas, o parque possui dez quadras, quatro portarias, dois estacionamentos, lanchonete, restaurante e é dividido em três áreas:

- Parque Esportivo, primeira área a ser construída, que abriga as quadras (oito poliesportivas e duas de tênis), as pistas de skate e patins e a pista de cooper, áreas de descanso e vestiários, além de oferecer empréstimo de materiais esportivos e aulas gratuitas de diversos esportes, entre eles, tênis e taekwondo;

- Parque Central, segunda área finalizada, que, com 95 mil m² de área verde, incluindo jardins, alamedas, bosques e uma pequena Mata Atlântica, ainda possui passarelas, conservadas do antigo presídio, para conhecer melhor a área, oferece modalidades esportivas, como o arvorismo, e permite a entrada de animais de estimação;

- Parque Institucional, onde localiza-se o prédio da Escola Técnica Estadual (ETEC), um posto do Acessa SP, onde o púbico pode, gratuitamente, acessar a internet em mais de cem computadores e assistir a cursos e oficinas e a Biblioteca de São Paulo, espaço de quatro mil m² e dois andares, com mais de 30 mil livros – desde os clássicos da literatura em novas edições, até best sellers atuais – além de um acervo com filmes, CDs, livros digitais, duas áreas infantis e um auditório.

O parque também apresenta uma extensa agenda cultural, sempre recebendo shows e festivais com grandes artistas nacionais dos mais diversos estilos e ritmos e eventos de diversas temáticas, como encontros religiosos, mostras de arte, apresentações teatrais e circenses, entre muitos outros.

Localizado ao lado da estação Carandiru do metrô (Linha azul), o parque possui fácil acesso através de transporte público (ônibus e metrô) e, aos domingos e feriados, através da Ciclofaixa de lazer.

Serviço:


End.: Av. Zaki Narchi, 1309 – Carandiru – zona Norte – São Paulo.
Horário de funcionamento: de segunda a domingo, das 6h às 18h (as quadras funcionam de segunda a sábado, das 6h à 0h. Domingos, das 6h às 22h).
Tel.: (11) 2251-2706/ (11) 2089-8600



Parque Linear Tiq.

Parque Linear Tiquatira
Autor: Mariana Podavin


Oficialmente nomeado como Parque Linear Tiquatira Eng. Werner Eugênio Zulauf, localiza−se na zona Leste, bairro da Penha, ao longo da Av. Governador Carvalho Pinto, com 320.000 m².

É o primeiro parque linear da cidade de São Paulo, pois foi construído às margens do Rio Tiquatira, de forma a ajudar na preservação e conservação do leito do córrego, além de garantir uma faixa segura de ajardinamento e arborização entre o córrego e as vias urbanas.

Seus principais atrativos incluem quadras poliesportivas, campos de futebol, pistas de Cooper, caminhada, ciclismo e skate, áreas de convivência e anfiteatro aberto. Na infraestrutura de serviço, encontram−se quiosques cobertos com mesas e bancos, sanitários e bebedouros, porém não há serviços de alimentação no local.

O parque é bem arborizado, permitindo que o visitante circule por entre uma enorme variedade de árvores, plantas e flores, e também observe uma diversidade de pássaros, aves e animais de pequeno porte. A presença de animais de estimação é permitida no parque, contanto que se respeitem as normas de circulação: utilização de guias e fucinheiras para raças de grande porte.

Eventos fixos do parque são a Feira de Artesanato aos domingos, das 10h às 16h e a Ciclofaixa de Lazer, com 14 km de extensão (7 km em cada sentido) - funciona no entorno do parque aos domingos e feriados, das 7h às 16h, passando também pelas avenidas Dom Hélder Câmara e Calim Eid.

Serviço:


Horário: aberto de domingo a domingo - sem portões.
End.: Av. Governador Carvalho Pinto − 1.665/1757 − Penha – zona Leste - São Paulo
Grátis.
Tel.: (11) 2641-2712



Parque Mário Covas

Parque Prefeito Mário Covas
Autor: Cintia Santos


Inaugurado no dia 24 de janeiro de 2010, um dia antes do 456º aniversário de São Paulo, o Parque Prefeito Mário Covas localiza-se na esquina da Avenida Paulista com a Alameda Ministro Rocha de Azevedo, possui mais de cinco mil m² e conta com um paraciclo, sanitários e uma Central de Informação Turística Paulista (CIT Paulista), administrada pela São Paulo Turismo (SPTuris, empresa de turismo e eventos da cidade de São Paulo).

Na antiga área, localizava-se o jardim da residência Vila Fortunato, de propriedade da família Thiollier, demolida em 1972. Em 1991, o Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) iniciou processo de tombamento do imóvel e estabeleceu diretrizes para ocupação do mesmo.

O parque preserva uma das áreas verdes da região da Avenida Paulista e apresenta vegetação composta por bosque heterogêneo. Dentre as espécies arbóreas destacam-se abacateiro, cafeeiro, cedro, figueira-da-índia, figueira-mata-pau, grumixama, mangueira, paineira, passuaré, pinheiro-do-paraná e tapiá-guaçu. Além disso, é um ótimo lugar para fazer caminhadas curtas.

Dentro do parque, encontra-se a CIT Paulista, onde os turistas e visitantes encontram à sua disposição pessoas qualificadas, bacharéis e estudantes de turismo bilíngues, com profundo conhecimento do patrimônio turístico de São Paulo e preparados para oferecer informações atualizadas e completas sobre os eventos que ocorrem na cidade, os atrativos turísticos, a infraestrutura, serviços e acessos.

Há também materiais disponíveis, como guias turísticos, culturais, de compras, além de mapas da cidade e folhetos de diferentes atrativos para visitação. Como chegar

Para visitar o parque, há várias linhas de ônibus que passam na Avenida Paulista: 805L-10 (Terminal Princesa Isabel - Aclimação), 857P-10 (Terminal Campo Limpo - Paraíso), 857P-21 (Campo Limpo - Paraíso), 857R-41 (Rebouças - Ana Rosa), 874C-10 (Pq. Continental - Metro Vila Mariana) e 875A-10 (Aeroporto - Perdizes, Via Aratãs). Para mais informações sobre trajetos, consulte o site da SPTrans.

De metrô, utilize a Linha 2 - Verde e desça na Estação Trianon-Masp ou Consolação.

Aos domingos e feriados, uma boa opção para chegar lá é de bicicleta, já que a ciclofaixa de lazer Centro-Paulista funciona na própria avenida, das 7h às 16h. Clique aqui para mais informações. Não há estacionamento para veículos no local.

Serviço:


End.: Av. Paulista, 1853 – Bela Vista – Centro – São Paulo.
Horário de funcionamento: diariamente, das 7h às 18h.
Tel.: (11) 3289-2160.



Parque Piqueri

Parque Piqueri
Autor: Suzana Pertinhez

Uma boa opção para aproveitar a natureza na zona Leste da cidade é o Parque Piqueri. Com mais de 97 mil m² de área, o parque tem em sua estrutura pista para caminhada, campo de futebol de areia, quadra de society, quadras poliesportivas, aparelhos de ginástica, playground, lago, palco para apresentações e conchas de bocha.

O nome Piqueri refere-se à tribo indígena que habitava a região. No local, funcionava uma chácara de mesmo nome e que virou parque em 1976. Sua vegetação possui mais de 150 espécies, incluindo cinco ameaçadas de extinção, como o pinheiro-do-paraná. Entre as espécies de animais, mais de 90 tipos vivem no parque, com destaque a aves como pica-pau, sabiá e papagaio que encantam os visitantes.

Seu vasto espaço e estrutura permitem um passeio completo, tanto para quem gosta de esportes e quer praticar como para quem preferir um passeio tranquilo em meio às árvores ouvindo o canto dos pássaros. E, para aproveitar o sossego, o parque comporta um dos Pontos de Leitura, projeto da Secretaria de Cultura que destina um espaço específico para a prática com livros à disposição.

Serviço:


Horário de funcionamento: todos os dias, das 6h às 18h; em horário de verão, das 6h às 19h.
End.: Rua Tuiuti, 515 – Tatuapé – zona Leste – São Paulo.
Tel.: (11) 2097-2213.



Parque do Trabalhador

Parque do Trabalhador
Autor: Suzana Pertinhez

Parque Esportivo do Trabalhador. Foto: Secretaria Municipal de Esportes. Um dos melhores espaços para a prática de esportes na capital paulista é o Parque Esportivo do Trabalhador, na zona Leste. Administrado pela Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, o parque oferece estrutura para a prática de dezenas de atividades dos mais variados tipos.

O local possui 286 mil m² de área, dividido em três campos de futebol, quatro quadras de vôlei, duas de basquete, quatro poliesportivas, seis de tênis (sendo duas de saibro), um campo de rugby, quatro piscinas, pista de corrida e caminhada, pista de atletismo de 400 m, três salas de ginástica, playground, um ginásio poliesportivo e um “pipódromo”, espaço reservado especialmente para empinar pipas de forma segura.

Todos os espaços podem ser usados livremente, sem ser necessário qualquer tipo de pagamento. Para aproveitar melhor cada espaço, são desenvolvidas variadas atividades em grupos pelo programa Clube Escola, como ginástica, capoeira, dança de salão, basquete futebol, futsal, handebol, voleibol, karatê, tai-chi-chuan, ioga, rugby, tênis e aulas de circo. Para mais informações de inscrições nas atividades, consulte o site da Secretaria de Esportes.

O estacionamento no local é gratuito.

Serviço:


Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 6h às 22h; sábados, domingos e feriados, das 6h às 18h.
End.: Rua Canuto de Abreu, s/n° – Tatuapé – zona Leste – São Paulo.
Tel.: (11) 2671-8788.



Parque Trianon

Parque Tenente Siqueira Campos (Trianon)
Autor: Mateus Maropo


Projetado pelo paisagista frânces Paul Villon e o inglês Barry Parker e inaugurado em 3 de abril de 1892, o Parque Trianon está no coração de São Paulo e decora a Avenida Paulista com 48,6 mil m² de vegetação tropical, remanescente da Mata Atlântica.

Seu nome oficial é Parque Tenente Siqueira Ramos, em homenagem ao militar e político brasileiro de mesmo nome que participou da Revolta Tenentista (1924), um dos maiores conflitos bélicos que ocorreram em São Paulo.

O local abriga uma flora repleta de espécies exóticas, como o chichá, a cabreúva, o palmito-jussara, palmeira-de-leque-da-china, cedro, jequitibá, e também é lar de animais silvestres, como o saíra-amarela, tico-tico, sabiá-ferreiro, borboletas e mais de 25 espécies de aves.

Diariamente, das 6h às 18h, o parque oferece playgrounds, aparelhos de ginástica e a trilha do fauno (caminho com 11 estações e 600 metros que liga a avenida Paulista com a Alameda Santos), na qual é possível avistar ainda duas belas esculturas: “Fauno” de Victor Brecheret e “Aretusa’, de Francisco Leopoldo Silva.

O nome Trianon, como é popularmente conhecido, deve-se a existência do antigo Clube Trianon, até meados dos anos 1950, onde hoje está o Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand).

Além de situar-se em frente ao maior museu de arte do país, o parque possui fácil acesso: fica a poucos metros do metrô Trianon-Masp da linha 2-Verde, há cinco linhas de ônibus que param na porta de entrada e aos domingos e feriados, das 7h às 16h, é um dos pontos da ciclofaixa de lazer Centro-Paulista.

Serviço:


Horário de funcionamento: diariamente, das 6h às 18h
End.: R. Peixoto Gomide, 949 (Altura do nº 1500 da Av. Paulista) - Cerqueira Cesar - Centro - São Paulo.
Tel.: (11) 3253-4973/ 3289-2160.



Parque Villa-Lobos

Parque Villa-Lobos
Autor: Suzana Pertinhez


Foi no ano de 1987 que surgiu a ideia de criar um parque em homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos e, anos depois, o Parque Villa-Lobos deixaria de ser um projeto para se tornar um dos parques mais visitados da cidade, contabilizando cinco mil pessoas durante a semana, 20 mil aos finais de semana e 30 mil em feriados.

O Parque fica no bairro Alto de Pinheiros, zona Oeste da cidade, e possui 732 mil m² que abrigam ciclovia, quadras, bosque, campos de futebol, playground, aparelhos de ginástica, pista de cooper e tabelas de street basketball.

Dentro do Villa, como é chamado o parque pelos frequentadores, há diversas atividades e atrações. O “Vai pela Sombra” é uma forma do visitante fazer uma trilha de pedriscos e andar pelos principais bosques do parque. O “Circuito das Árvores” é uma passarela elevada que, no ponto mais alto, chega a ter 3,5 metros de altura, além de 120 metros de extensão. Durante o passeio, é possível ver árvores e aves de diversas espécies. O Villa-Lobos conta ainda com o “Orquidário Ruth Cardoso” e o “Ouvillas”, espaço ao ar livre com taludes, bancos e espreguiçadeiras para que os visitantes apreciem apresentações musicais.

Serviço:


End.: Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 - Alto de Pinheiros - zona Oeste - São Paulo.
Horário de funcionamento: todos os dias, das 5h30 às 19h.
Tel.: (11) 2683-6302.



Parque Zilda Natel

Parque Zilda Natel
Autor: Saara Paiva


O Parque Zilda Natel é um dos locais favoritos de quem anda de skate e patins na cidade. Localizado na zona Oeste, o espaço possui três pistas em seus mais de 2.300 m² de área. Para quem não procura por esportes radicais, o parque tem aparelhos para ginástica e academia para a terceira idade, quadra de basquete de rua e mesas para jogos de tabuleiros.

As três pistas de skate possuem obstáculos com diferentes níveis de dificuldade: uma com rampas e corrimãos, uma banks em formato bowl (que lembra uma piscina vazia) com 75 m² e um half pipe (pista com formato de “U”) de 100 m². O projeto das estruturas teve participação de quem entende do assunto, contando com membros da Confederação Brasileira de Skate. O parque possui ainda vestiário para quem desejar se trocar para aproveitar melhor tanto as pistas como a quadra de basquete de rua.

Para completar as características de um “parque-urbano”, os muros possuem nove painéis grafitados. Mas a natureza não fica de lado: entre a vegetação, estão árvores como abacateiro, goiabeira, mangueira, entre outros.

Serviço:


Horário de funcionamento: todos os dias, das 9h às 21h
. End.: Avenida Dr. Arnaldo, 1250 – Sumaré – zona Oeste – São Paulo.
Tel.: (11) 3862-2921.



Praça Ben. Calixto

Praça Benedito Calixto
Autor: Lys Silva

Conhecida como uma das melhores feiras de antiguidades e artesanato do Brasil, a Feira da Praça Benedito Calixto acontece desde 1987 e reúne em Pinheiros, todos os sábados, mais de 300 expositores.

Das 9h às 19h o visitante pode comprar de tudo, desde obras de arte a brinquedos antigos, roupas seminovas, discos de vinil, louças e móveis que datam do meio do século XIX. Para quem prefere algo ainda mais exclusivo, a feirinha conta com estandes de lojas de decoração de alto nível.

A partir das 14h30, na Praça de Alimentação, os intérpretes Canário e seu Regional tocam o tradicional chorinho, enquanto quem passeia se alimenta com comidas típicas e petiscos oferecidos nas barraquinhas da feira.

Além dessas atrações, a feirinha conta com uma barraca intitulada Museu da Voz, onde dá para encontrar vinis e fitas antigos e algumas reliquias.

No entorno da Benedito Calixto existem várias opções de restaurantes, centros culturais e lojas de roupas descoladas. Tem comida por quilo no D. Lyra, japonesa no Sushi Yá e mineira no renomado Consulado Mineiro. Para passar o tempo, vá até o Espaço Cultural Alberico Rodrigues que é, ao mesmo tempo, alfarrábio, sebo, livraria, galeria de arte, teatro, espaço para shows, saraus e palestras além de cafeteria e lanchonete. Para ir as compras conheça a Qualquer Coisa, lugar onde dá para comprar bolsas de pano estampadas, vestidos e até roupa infantil.

Voltando para a Benedito, duas vezes por mês acontece o projeto “Autor na Praça”, que surgiu como forma de unir literatura e outras manifestações artísticas, em que autores fazem lançamentos de seus livros enquanto conversam com os visitantes da feira e artistas ligam suas obras ao livro lançado.

Serviço:


End.: Praça Benedito Calixto, s/nº - Pinheiros.
Horário de funcionamento: das 9h às 19h.



Praça da Sé

Praça da Sé
Autor: Mateus Maropo


Localizada no coração de São Paulo, a Praça da Sé é o centro geográfico da cidade. No local está o Marco Zero e é partir dele que são medidas as distâncias das rodovias paulistas, dos quatro estados das fronteiras, assim como a numeração das vias públicas da cidade.

O monumento é simbolizado por um prisma hexagonal revestido de mármore, no centro de uma rosa dos ventos construída no chão da praça. Na parte de cima, em bronze, em cada lado do miniobelisco, estão os principais lugares brasileiros como Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Santos e Goiás.

Originalmente conhecido como "Largo da Sé", o local recebeu intervenções paisagísticas, como espelhos d'água, pelo arquiteto José Eduardo de Assis Lefèvre, na década de 1970, mesma época da criação da estação Sé do metrô.

Junto à praça está a gótica e bizantina Catedral Metropolitana de São Paulo, a antiga Igreja Matriz construída em 1588 e reformada em 1954, no aniversário de 400 anos da cidade, configurando, até hoje, a maior igreja de São Paulo, com 92 metros de altura.

Lá ainda é possível avistar as estátuas de Padre José de Anchieta e do apóstolo Paulo, que dá o nome a cidade, as imponentes Palmeiras Imperiais, além de diversas obras de artistas plásticos como "Os Pássaros", de Felícia Leiner; "Diálogo", de Franz Weissmann; e "Espaço Cósmico", de Yutaka Toyota.

Serviço:


End.: Praça da Sé, s/nº – Sé – Centro – São Paulo.



Praça República


Praça da República
Autor: Inae Luiz


A Praça da República, no centro de São Paulo, é um dos pontos mais visitados por turistas e moradores da cidade. Isso se deve à sua localização, próxima a avenidas de grande movimento, como a Av. Ipiranga e a Av. São Luís, ruas comercias, como a Vinte e Quatro de Maio, Sete de Abril e Barão de Itapetininga e outros indispensáveis pontos turísticos, como o Theatro Municipal e o Viaduto do Chá.

A praça, originalmente chamada de Largo dos Curros era, no século XIX, palco de rodeios e touradas. Após essa fase, foi chamada de Largo da Palha, Praça das Milícias, Largo Sete de Abril, Praça 15 de Novembro e, em 1889, passou a ser Praça da República.

Lar de grandes manifestações políticas que mudaram a história do país, abriga edifícios históricos, como a Escola Normal Caetano de Campos (tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, Condephaat, em 1978), que em seus anos de operação, recebeu grandes personalidades nacionais e, hoje, é o prédio onde funciona a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

Na praça encontra-se também um dos projetos do renomado arquiteto Oscar Niemeyer: o Edifício Eiffel, inaugurado em 1956, que possui duas abas laterais e cerca de 54 apartamentos, todos com dois andares.

Com ambiente agradável e familiar, a praça tem um pequeno parque infantil e diversas pontes e chafarizes.

Aos domingos, desde 1956, acontece a popular Feira da Praça da República, voltada principalmente para as artes, que começou como uma pequena feira de selos e hoje conta com mais de 600 barracas dos mais diversos produtos, incluindo artesanato vindo do Norte e Nordeste do Brasil e de países vizinhos, como o Peru, artigos de decoração, esculturas, roupas, brinquedos, bijuterias, além de comidas típicas, massas, lanches e doces em sua praça de alimentação.

Serviço:


End.: República, s/n° – República – Centro – São Paulo.
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo
End.: Praça da República, 53 – República – Centro – São Paulo.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 7h às 19h.
Tel.: (11) 3218-2000



Praça Roosevelt

Praça Roosevelt
Autor: Mateus Maropo


Construída na década de 60, entre as ruas Consolação e Augusta, a Praça Franklin Roosevelt, homenagem do prefeito da época, José Vicente Faria Lima, ao presidente americano, é uma das principais áreas de lazer no centro da cidade nos dias de hoje.

Após recente reforma, a Praça Roosevelt reabriu em outubro de 2012 com um espaço totalmente reestruturado e revitalizado ao público.

Com 200 árvores, o local ganhou novos ambientes com pisos ecológicos, cobertos por flores de cores variadas, iluminação especial e até um "cachorródromo", área verde dedicada aos animais de estimação, que conta inclusive com um bebedouro para os pets.

Foram construídas também duas guaritas de segurança, uma da Polícia Militar e outra da Guarda Civil, permitindo um passeio tranquilo a qualquer horário.

A praça é frequentada por um público diversificado, mas especialmente depois da revitalização virou um reduto para skatistas por possuir piso liso ideal para realizar manobras e corrimãos como obstáculos.

Pensando nesse público, a subprefeitura da Sé anunciou que vai criar uma área exclusiva, chamada de "skate plaza", com 1.152 m² e cinco rampas novas, dedicada aos praticantes do esporte.

Situada em uma região repleta de atrações culturais e gastronômicas, nas redondezas da Roosevelt estão situadas várias casas de teatro e bares que oferecem uma programação especial à noite.

Aberto em 1997 como Studio 184 e hoje chamado de Teatro Studio Helena Guariba, em homenagem à diretora e professora de teatro que foi torturada e morta na ditadura, é o mais antigo local ainda em funcionamento a ocupar a praça. Funciona diariamente, das 11h às 23h, e apresenta aos finais de semana as tradicionais peças de teatro.

A Companhia Satyros de teatro vem atuando nos palcos do Brasil e da Europa desde meados de 1989, mas só depois de 2001 o grupo chegou à Praça Roosevelt abrindo dois espaços (Espaço Satyros 1 e 2), com uma programação cênica especial, além de oficinas de interpretação.

O Espaço 1 possui um café na entrada, que funciona das 18h à 0h, chegando até as 2h nos finais de semana, e o teatro, com capacidade para 60 pessoas, que tem uma programação que varia de quarta a domingo. O Espaço 2 no momento encontra-se fechado para reformas, sem previsão de data para a reabertura.

O Espaço Parlapatões foi fundado em 2006 pelo grupo teatral Parlapatões, um dos maiores nomes de espetáculo circense, e abriga atualmente várias peças que relacionam música, circo, comédia e teatro de rua. A casa tem um café-bar, palco para apresentações e sala com capacidade para cerca de cem pessoas.

Há também vários outros pontos de encontro que concentram palcos de teatro com locais de alimentação, como o Miniteatro, o Teatro do Ator e o Teatro Cultura Artística nas proximidades da Roosevelt. Confira mais informações sobre as casas no serviço abaixo.

A praça será ainda um dos primeiros locais a receber zonas de Wi-Fi gratuitas pela cidade por um projeto da Prefeitura de São Paulo. A expectativa é que a rede seja instalada até o final de 2013, que permitirá conexão a partir de 512 Kbps, 24 horas por dia.

Serviço:


Teatro Studio Helena Guariba (antigo Studio 184)
Horário de funcionamento do café: das 11h às 23h.
End.: Praça Franklin Roosevelt, 184 - Consolação - Centro - São Paulo.
Tel.: (11) 3259-6940



Praça Victor Civita

Praça Victor Civita
Autor: Suzana Pertinhez


A Praça Victor Civita, entregue oficialmente à população em novembro de 2008, é um ponto de encontro em Pinheiros, zona Oeste da capital. Sua administração prevê atividades de educação ambiental, exercícios físicos, além atrações culturais com shows e orquestras totalmente gratuitos.

O espaço que a praça ocupa era, anteriormente, uma área destinada à incineração de lixo, que oferecia riscos à saúde da comunidade. Depois da desativação do incinerador, cooperativas de material reciclável ocuparam o local e passaram a oferecer outro sentido a ele. Em meados de 2001, a Prefeitura selou um acordo com o Grupo Abril (cujo prédio fica em frente à praça) para revitalizar o terreno.

Após pesquisas e projetos, a recuperação da praça teve início em 2006. Resíduos e detritos foram retirados e camadas de terra limpa colocados no local. Com algumas parcerias, a praça ganhou os espaços que atualmente recebem atividades regulares todos os dias, como Ioga e Pilates, e cursos de línguas, pintura, danças e oficinas para a terceira idade. A Praça possui ainda um palco com arquibancada para 400 pessoas, destinado a eventos culturais abertos à população.

Para evitar o contato com o solo contaminado, um deck de madeira foi construído, onde são distribuídos panfletos de conscientização sobre a história do local e a importância do cuidado com a natureza. Nele, equipamentos de ginástica e uma pista de caminhada podem ser utilizados.

O projeto do espaço trabalha o conceito de sustentabilidade e educação ambiental, em parceria com o Instituto Verdescola. Na Praça, são ministrados cursos, oficinas e visitas para jovens e adultos focados na reutilização de materiais.

Além disso, medidas sustentáveis foram implantadas na Praça como exemplo de convivência com a natureza. A iluminação é feita com LED, a água da chuva é reaproveitada na irrigação de jardineiras e do bosque e a água utilizada nos sanitários e na limpeza sofre tratamento para reuso.

Serviço:


Horário de funcionamento: das 6h30 às 19h.
End.: Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros – zona Oeste – São Paulo



Praça Vilabom

Praça Vilaboim
Autor: Clara Campos Melo


Os moradores de Higienópolis sabem qual é o local mais charmoso do bairro: a Praça Vilaboim. Localizada no coração do distrito, próximo ao Parque Buenos Aires, estádio do Pacaembu e às universidades FAAP e Mackenzie, o espaço reúne desde estudantes até idosos residentes do entorno.

O lugar, que antes abrigava um campinho de futebol no início do século XX, começou a ser urbanizado no início dos anos 30, inclusive com o plantio da figueira que se encontra até hoje no centro da Vilaboim. Inaugurada em 21 de setembro de 1937, continua recebendo grande fluxo de pessoas até hoje.

A importância da praça é tamanha que, em julho de 2007, ela foi tombada pela Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico de São Paulo) para proteger e preservar as características do local e de suas árvores e plantações. As construções que cercam o local também tiveram limitações - elas não podem ultrapassar os 12 metros de altura.

Atualmente, a Vilaboim engloba vários estabelecimentos comerciais como restaurantes e lojas variadas, bares, padaria, livraria, farmácia, locadora, uma banca de jornal que funciona 24 horas por dia, entre outros.

Serviço:

End.: Praça Vilaboim, s/nº – Higienópólis – Centro – São Paulo.